OLHAR DO SABER – Grafite sobre sulfite – 2009.

Neste primeiro post quero homenagear o paraibano MOACIR ALVES CARNEIRO, ex-reitor da UFPB, que foi Secretário Estadual da Educação da Paraíba, Coordenador de Extensão da Universidade de Brasília entre outros cargos importantes.

Voltado sempre para a Educação e para a possibilidade ideal de um ensino sem barreiras, seus trabalhos visam dignificar o professor como o verdadeiro mestre na realização de sua função: educar, respeitando o indivíduo mais importante que é o aluno.

Em seu livro: A ESCOLA SEM PAREDES, Moacir mostrou que nada é impossível para um educador quando a sua vontade e fé estão juntos. Os sonhos e medos andam juntos para sermos exemplos de pessoas, amigos, pais e líderes.

Escolhi começar esse blog relatando sua poesia que, para mim, é a obra mais forte que me atingiu nestes meses. Sua postura com palavras simples e diretas resumem minhas intensões neste blog, que não fixa-se em relatos educativos, mas de aprendizado, sempre.

Nesta ilustração simbolizo o olhar de um ser humano que nasce para aprender, pensar e ensinar. O olhar de uma vida que leva a conquistas de uma criança que se torna um professor não só de uma escola, mas de uma vida.

Nossas atitudes, palavras, amizades, carinho, explicações, brigas, dores, sorrisos e ajudas são ensinamentos que todos devemos ter para sermos sempre professores e alunos até o fim de nossos dias.

Aqui está um texto de MOACIR CARNEIRO que influenciou meus pensamentos:

O PROFESSOR E O SONHO

Eu quero ser professor
De um saber todo sabor
De lições em desamor.

Eu quero ser professor
De uma escola que é arremesso
Pois cada dia é um começo.

Eu quero ser professor
Com asas de auto-estima
Com lições de muitas rimas
Pois a vida reprimida
Parece, mas não é vida.

Eu quero ser professor
De rotas de autonomia
Cada um em sua via.

Eu quero ser professor
Que una o criativo
O singular e o coletivo.

Eu quero ser professor
Pra ensinar com ternura
Pois aula não é tortura.

Eu quero ser professor
Que acolhe com prazer
Todos que querem saber.

Eu quero ser professor
Pra tornar o erro semente:
Plantar e seguir em frente.

Eu quero ser professor
Pra dialogar, tecer
A compreensão, a ação.

Conviver com harmonia
Viver a paz todo dia
Eis a suprema lição!

Moacir Alves Carneiro – A escola sem paredes.  São Paulo: Escrituras Editora, 2002.

.